Widget Image

Comercial e Media Training

Cecília Amaral

cecilia@musicapopularsertaneja.com

(11) 99183-8272

Sugestões de pauta

Cristiane Bomfim

cristiane@musicapopularsertaneja.com

(11) 99453-8127

Mídia Kit

HomeNotíciasGarth Brooks: show e R$ 10 milhões para novo hospital para o tratamento do câncer

Garth Brooks: show e R$ 10 milhões para novo hospital para o tratamento do câncer

Garth Brooks: show e R$ 10 milhões para novo hospital para o tratamento do câncer

Por: Cristiane Bomfim | Data: 25 de agosto de 2015

Público lota arena do Parque do Peão de Barretos para assistir apresentação do cantor norte americano (foto: Cristiane Bomfim)

Fãs empolgados, arena lotada, chapéus para o alto, artistas emocionados, clássicos da música country e pelo menos R$ 10 milhões que serão investidos na construção do Hospital do Câncer do Amazonas, na cidade de Porto Velho (RO). Este foi o saldo do show do cantor norte-americano Garth Brooks na 60ª edição da Festa do Peão de Barretos, no interior paulista, no último sábado, dia 22. O cantor que ocupa o segundo lugar em vendas de discos nos Estados Unidos, com mais de 135 milhões de cópias (só perde para The Beatles), voltou ao Brasil depois de 17 anos e doou toda a renda do show para o projeto liderado por Henrique Prata, diretor-geral do Hospital do Câncer de Barretos.

Com capacidade para 50 mil pessoas, a Arena do Parque do Peão lotou bem antes do início da apresentação. “Não cabe mais nem um palito de fósforo aqui”, brincou empresário Antônio Bastos de Lima, de 39 anos. Acompanhado de três amigos e da namorada, foi a primeira vez que ele participou da festa. Para assistir a apresentação do ídolo teve de desembolsar R$ 200. “Isso sem contar o dinheiro gasto com hospedagem, gasolina, alimentação e bebida”, lembrou ele que mora em São Paulo (distante mais de 500 Km de Barretos). “Mas vale muito a pena. Além de assistir um show único, vou contribuir com este projeto”, concluiu.

https://youtu.be/wxzIjGzDZqg

E valeu a pena mesmo. O show que começou às 23h deixou o público boquiaberto. Os 15 anos longe dos palcos – ele conta que deixou a carreira de lado para se dedicar à criação de suas três filhas – não endureceram o cantor country de 53 anos que chegou em um elevador montado no centro do palco para apresentar no Brasil a turnê “Man Against Machine” e enlouquecer os fãs com sucessos como por exemplo “Standing Outside The Fire” e “The Dance”, que até ganhou versão em português anos atrás.

Mas foi a música “Friends in Low Places”, cantada ao lado de Chitãozinho & Xororó e Fernando & Sorocaba, que fez o parque do peão tremer. “Eles foram muito gentis em aceitar cantar uma música minha no palco. Eu não conseguiria fazer o que eles fazem porque as melodias da música que eles fazem aqui são lindas. E é uma honra cantar com uma dupla que é uma lenda da música no Brasil e outros dois artistas que são novos e muito bons”, confessou o cantor aos jornalistas em uma coletiva de imprensa poucas horas antes da apresentação.

Após as cinco vozes dividirem a canção do cantor country foi a vez de Chitãozinho e Xororó mostrar porque são considerados lendas da música brasileira. A dupla que tem 45 anos de carreira e já vendeu mais de 37 milhões de discos escolheu “Evidências”, que foi cantada em coro pelas 50 mil pessoas que lotavam o local. A cena arrancou aplausos emocionados de Garth Brooks. Fernando & Sorocaba, fãs confessos do norte americano, decidiram que Madri seria a música ideal para ser cantada na frente do astro. Além dos elogios, a dupla ganhou um violão do ídolo. “Até agora eu não acredito que realizei este sonho. O cara (Garth Brooks) é muito humilde, gente boa. Passamos o dia juntos e em todos os momentos ele foi simpático e atencioso com as pessoas e como não fala inglês em alguns casos fazia mímica para se comunicar”, contou Sorocaba emocionado minutos depois do show.

IMG_0097

Após o término do show, Garth Brooks foi homenageado por Daniel, Paula Fernandes e Juliano Cezar que juntos (e com a participação de Fernando & Sorocaba e Chitãozinho & Xororó) cantaram “Tente Outra Vez”. Henrique Prata, diretor-geral do Hospital do Câncer de Barretos, ainda presenteou o cantor com um quadro em que estavam marcadas as mãos de algumas crianças que dão tratadas na instituição. Garth Brooks foi às lágrimas ao ver no telão uma homenagem feita por estas crianças.

10 milhões e um tratamento mais humano

22/08/2015 - Garth Brooks dá entrevista coletiva antes de apresentação no Rodeio de Barretos. (foto: Cristiane Bomfim)

22/08/2015 – Garth Brooks dá entrevista coletiva antes de apresentação no Rodeio de Barretos.
(foto: Cristiane Bomfim)

Garth Brooks perdeu mãe e irmã. As duas morreram por causa do câncer. Mas o show que ele fez em Barretos não foi uma homenagem à elas, segundo ele. Em coletiva de imprensa duas horas antes de se apresentar no Parque do Peão, o cantor afirmou que foi convencido por Henrique Prata, diretor-geral do Hospital do Câncer a ajudar na realização de um projeto. “O motivo pelo qual eu estou aqui hoje é que ele foi até Las Vegas no ano passado, me explicou o projeto e me pediu para cantar no Brasil. Eu não entendi muito bem o que ele estava dizendo, mas eu acreditei. O Henrique tem uma coisa que te passa confiança quando ele fala”, disse.

“A forma como eu ajo todos os dias depois que acordo é reflexo da minha mãe e da minha irmã. O câncer é uma droga e não merece esse nome. Quando eu falo ou penso na minha mãe e na minha irmã é porque elas fazem parte de mim e não porque tiveram câncer”, completou o cantor que também elogiou a atuação dos artistas brasileiros – especialmente os sertanejos – em campanhas que ajudam o Hospital do Câncer de Barretos. “Tiro o chapéu para eles e me sinto orgulhoso de estar ao lado deles neste momento. Um artista não pode fazer sozinho. Todos têm de ajudar. Eu sou um retalho dessa imensa colcha de retalhos que pode aquecer o mundo”.

Garth Brooks arcou com os custos da viagem de toda sua banda para o Brasil e doou todo o valor arrecadado com a venda de ingressos (50 mil a R$200 cada) para a construção do Hospital do Câncer da Amazonas. As obras do complexo hospitalar começaram em janeiro em terreno de aproximadamente 100 mil metros quadrados, em Porto Velho, no estado de Rondônia. A área foi doada por dois empresários e o valor da obra está estimado em R$ 30 milhões. Já a compra dos equipamentos (como os usados para quimioterapia) está orçada em cerca de R$ 50 milhões. “Com isso vamos encurtar a distância para o tratamento do câncer e diminuir o sofrimento de muitas famílias”, disse Henrique Prata. A previsão é que as obras durem 3 anos.

Na entrevista, Garth Brooks falou muito sobre amor: “se tem duas coisas que o hospital pode dar aos pacientes elas são o amor e a esperança. A esperança para a família é o que faz as coisas acontecerem e você vê amor sendo doado aqui. Amor e tempo são duas coisas que a gente doa e nunca mais tem de volta e por isso vale tão a pena”.

Gostou? Compartilhe
Rate This Article

cristianebomfimsantos@gmail.com

Deixe seu comentário abaixo

Deixe um comentário

Versão Desktop